23/02/2015

Sobre o Sniper Americano e o Senhor da Guerra

Ontem aconteceu a entrega do Oscar e como sempre eu não consegui assistir todos os filmes que estavam concorrendo. Mas eu assisti “Sniper Americano”.

Li algumas críticas ruins sobre o filme que comentam aquela imagem estereotipada de que os EUA adoram uma guerra, sobre um falso herói americano que matou criancinhas. Críticas que chegaram a fazer comparações entre este filme e os filmes de propaganda nazista. (Oi?!?).


Na verdade o que eu assisti foi uma historia triste sobre o que a guerra é para um homem e não para um país. Sobre o que ela faz com os pobres coitados que vão para os campos de batalha. Sobre O Senhor da guerra não gostar de crianças*. Sobre um sentimento, pouco conhecido por brasileiros, chamado Patriotismo.

O filme é baseado na história real de Chris Kyle, um cowboy americano que aos 30 anos resolve se alistar no exército. Ele passa por diversos treinamentos e por ter aprendido atirar ainda criança com seu pai acaba se tornando um Sniper, um atirador de elite. Logo após os atentados de 11 de setembro ele se casa às pressas e tem apenas 3 dias de lua de mel, pois é enviado ao campo de guerra no oriente médio para "caçar" terroristas.


Aí entra o meu ponto, a história não é sobre Americanos vs. Terroristas, a história é sobre um homem.

O Sniper mata crianças sim, é um momento triste e pesado, mas quem enxerga apenas isso não tem muito discernimento. O monstro mau não foi quem matou a criancinha e claro, nem a própria criancinha, mas quem colocou uma granada na mão dela para matar 20 homens, quem colocou o sniper lá para impedir que essa mesma criancinha matasse 20 homens. O Senhor da guerra não gosta de crianças*.

Sobre o patriotismo, o máximo que nós brasileiros conhecemos deste sentimento é cantar o hino nacional completo em jogos de futebol e vôlei. Nós nunca perdemos pais, tios, irmãos, maridos e filhos para guerra. Nem queremos!!! Mas não vamos julgar o patriotismo americano, perder alguém que nós amamos muda nossas cabeças, digo com experiência.  Quem perdeu entes queridos nas torres gêmeas deve saber a importância da “caça” ao Bin Laden. Mais do que nós.

Minha opinião: esse patriotismo não acontece por causa de governo ou do presidente, mas sim por causa de pessoas. Pessoas que como Chris kyle, largou sua esposa e depois largou filhos para lutar contra terroristas (outros coitados). Ele perdeu amigos na guerra, ele voltou para casa com sérios problemas de saúde, deu muita sorte de não ter deixado braço, perna ou a vida no campo de batalha.



O Senhor da guerra não gosta de crianças* e as crianças somos nós, são os snipers americanos e são os homens bombas.

Sobre o filme, excelente! Tirando o bebê falso que usaram como filho do sniper. Muito mal feito!



Imagens -http://cinema10.com.br/
10 comentários:
  1. Ainda não vi esse filme, mas tenho que dizer que realmente é triste pensar em como a guerra é algo horrível para todos os envolvidos e pior ainda para os inocentes que acabam perdendo suas vidas por estarem no meio disso tudo. Basicamente, penso que existem soluções muito melhores do que poderio bélico para resolver problemas entre nações. Os governantes são tão estúpidos e egoístas que nunca pensam nas consequências de uma guerra para o povo que muitas vezes não tem nada a ver com os interesses escusos dos que "mandam".

    aguardandoocamaleao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu quero ver muito esse filme. As pessoas gostam de criticar, mas só que foi a guerra sabe como é sofrer, ter que matar inocentes como a criancinha que vc citou, imagina o quanto isso abala um homem?!

    www.garotadosuburbio.com

    ResponderExcluir
  3. ai nao é meu estilo nao, mas o post ficou otimo

    Bjuuu
    blogjumedeiros.com

    ResponderExcluir
  4. Jujuuuuuuu, eu estou louca pra ver este filme, o trailer me instigou e a sua resenha mais ainda! Dos filmes indicados ao Oscar eu só assisti "A Teoria de Tudo" acredita? HAHAH Mas amei, é lindo! Quero ver os outros, incluindo o vencedor. Beijos gatinhaaaaaaaaaa :*
    Ps: Que nostalgia lembrando da música do Legião que você citou, fiquei cantarolando ela enquanto lia sua resenha kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    www.vodkaescarpin.com.br

    ResponderExcluir
  5. Uooooooou! O que dizer sobre esse filme que ainda n assisti mas já sinto que vai ser ótimo! ahhahaha Juro que a janelinha está aberta aqui com ele carregando. hahahah

    somundomeu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Assisti ao filme hoje pela segunda vez para ter certeza se gostei ou não...realmente não gostei! Acho que o que me incomodou profundamente foi que quanto mais ele matava, mais importante ele se tornava, se tornou uma lenda, por quê? Por que matou centenas de pessoas? Ok, eram terroristas, se Chris não os matasse provavelmente eles matariam muito mais pessoas do que o próprio Chris matou, mas não acho que morte seja algo a ser celebrado, algo que eleve uma pessoa a um patamar superior! Chris estava lá para proteger os soldados e fez isso muito bem, mas o próprio Chris sofria com isso. Porém, as pessoas ao redor dele, principalmente os próprios soldados e a mídia, insistiam em ver aquilo como uma dádiva...muito triste!

    Sobre a boneca...muito feio aquilo! Era nítido que aquilo não era um bebê! hahaha

    www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  7. Gostei da sua resenha, gostei da sua visão também humana e não apenas politizada como a maioria costuma ter de filmes assim.
    Realmente, é uma questão muito maior e que vai muito além de um simples sniper ou um simples terrorista. Mas que transforma significativamente a vida de todos os envolvidos, que são indivíduos e tem seus sonhos, suas crenças, seus sentimentos, suas vidas. Todos peças de um jogo muito poderoso e cruel, que não sabemos se um dia terá fim, infelizmente.

    Não assisti o filme - mas agora me deu vontade de ver - mas fiquei sabendo da cena do boneco kkk ninguém merece esse deslize, né?

    Beijos!

    Clá |blog uma garota carioca|

    ResponderExcluir
  8. Juju... eu gosto de gente que me faz pensar e você é uma dessas!

    De fato... brasileiro não sabe nem por onde começa o significado de patriotismo. A gente canta o hino nesses momentos necessários, mas muitas vezes não consegue ter nem respeito, paciência e vontade de estar ali naquele momento.

    Não assisti esse filme, mas gosto de histórias baseadas em fatos reais e, como disse, daquilo que me faz pensar. Com certeza, após ler esse seu texto, terei uma ótica diferente quando tiver contato com o filme.

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. eu estou louca pra assistir esse filme, serio mesmo. parece ser bom demais.
    I'm Radioactive

    ResponderExcluir
  10. Eu vi o trailer desse filme e achei muito interessante. Gosto de filmes assim, ainda mais que é uma história real.

    ResponderExcluir

Me conte suas besteiras também!!

Ou conte coisas sérias... ou deixe sua receita de bolo de chocolate ou faça uma piada.. aqui o espaço é seu!! Use com amor!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...