18/12/2014

Pais e FIlhos

Ontem assisti o filme "Gonzaga - de pai para filho". Achei interessante, pois não conta simplesmente a história de Luiz Gonzaga, que me desculpem os fãs, nunca me chamou muito a atenção, mas o filme fala sobre o relacionamento pai e filho. Luiz Gonzaga e Gonzaguinha. 

Você com certeza deve conhecer alguma música do Gonzaguinha, pelos seus pais ou avós, a mais conhecida é aquela assim "Viver e não ter a vergonha de ser feliz... cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz, eu seiii que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita... é bonita é bonita e é bonita"

Ok, voltando.

http://jornalggn.com.br/


Relacionamento entre pais e filhos são divididos entre:
Invejáveis - Aqueles relacionamentos maravilhosos onde pais e filhos se entendem no olhar;
Neutros - Neutro é neutro mesmo;
Desastrosos - Relacionamento Torre de Babel, ninguém se entende.

Passeamos entre eles, mas um invejável nunca será desastroso e vice versa. Desculpa, é verdade.

Ter um relacionamento invejável com seus pais não significa que não há brigas, que não há discussões, que não há diferenças. Ter um relacionamento desastroso não significa que não há amor, carinho, preocupação.

O que muda é a nossa maturidade. Lembro das brigas terríveis que tinha com a minha mãe quando era pequena, hoje simplesmente não dá pra sair batendo a porta do quarto. Sim, meu relacionamento com a minha mãe pende para o desastroso. Precisamos nos vigiar o tempo todo.

Vimos o mundo de maneiras totalmente diferentes, mas nos amamos. Trabalhamos juntas, rimos muito juntas e eu adoro quando isso acontece, mas se eu falar A, ela vai responder B e eu vou entender C, pronto, a briga está formada. Isso ocorre mesmo quando estamos falando sobre a mesma coisa. 
Se ela falar vira "pra cá", o meu "pra cá" é diferente do "pra cá" dela, SEMPRE! Achava que era implicância, que ela me odiava, e blá blá blá, quando na verdade só pensamos diferente e podemos nos adaptar a isso, não podemos?

É normal. Se você acha que não escolheu seus pais, acredite, eles também não escolheram os filhos que tem. 

O certo é que é um laço eterno, por mais que pais e filhos briguem, deixem de conversar, deixem de se ver, não há como apagar o fato de ser filho ou pai de alguém. Portanto, melhor tentar crescer.

"Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo, são crianças como você, o que você vai ser quando você crescer?"


Você se entende bem com seus pais? Pelo sim ou pelo não, aproveite, ouça, ria.
20 comentários:
  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria assistir o filme ontem, mas nem deu :( Meu relacionamento com meus pais está longe de ser invejável, meu relacionamento com meu pai é neutro e com minha mãe varia, mas isso tudo foi depois da separação!
    "Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo, são crianças como você, o que você vai ser quando você crescer?" essa frase eu levo para minha vida toda e sempre me faço essa pergunta!
    Adorei o post, beijos
    http://www.naoaocontrario.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho um relacionamento invejável com meus pais, graças a Deus. Não existe segredos entre nós. Conversamos sobre absolutamente tudo.. Falo de homens tanto com meu pai, tanto com a minha mãe. Falo sobre meus erros com ambos e se faço algo que pode escandalizar as pessoas eles são os primeiros a saberem. Eles são meus melhores amigos. Agradeço muito a Deus por isso. Xoxo' <3
    Não sou uma It | Fanpage | Sorteio de um Layout


    ResponderExcluir
  4. Olá Juju,
    Graças a Deus tenho um bom relacionamento com a minha mãe.
    Qto ao seu comentário no blog: Com alicate não sei se dá certo afiar com papel alumínio, mas tenha cuidado senão arranca bife se afiar demais
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir
  5. Eu quase não vi o filme do Gonzaga porque como também não curto muito ele achei que seria chato KKKKKKKKKKKKK Mas gostei, da história e tudo mais. Fiquei cantando sem parar depois " Luuuuuuuuuuuis respeite Januário (8)" hahahaha.
    Amei seu texto, concordo com tudo. Devemos aproveitar que temos pais que nos amam e se importam conosco, os desentendimentos existem sempre, principalmente na adolescencia. Mas eles querem o nosso bem (A maioria deles, existem uns Nardonis né, enfim).

    www.vodkaescarpin.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Juju!
    Não vi o filme, mas gostei muito do post e concordo. Eu posso brigar às vezes com meus pais, mas eu os amo e não trocaria por nada nesse mundo. Acho que no final, mesmo com as opinioes contrárias, os laços familiares sempre devem ser fortes

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
  7. Assisti parte desse filme e gostei.
    Compreendo seu pensamento e acho bem coerente. No fundo a questão predominante é respeito, né?! Saber respeitar o pensamento do outro e ama-la do jeito que é. (:

    ResponderExcluir
  8. Eu também assisti a historia é bem legal, e prendeu minha atenção desde o começo quando passo na globo. Eu nao tenho um relacionamento tãããão bom assim com meu pai mesmo morando na mesma casa :/ mas enfim eu amo esse filme é bem gostoso de assistir.

    Maluca por Estrelas
    malucaporestrelas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Adorei o post, Juju. Pura verdade, né? Não necessariamente um relacionamento desastroso significa que não há amor, carinho e tal. E um relacionamento invejável, não significa que não há brigas. Eu tenho um pouquinho dos dois. Tipo entre tapas e beijos, sabe? hahaha ;-) Mas independente do momento, eu sei que posso contar sempre com a minha mãe (e ela também sabe). Parece clichê, mas é um dos clichês mais verdadeiros. ♥

    P.S: amo essas duas músicas que você mencionou no post e também quero assistir esse filme.

    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá!!
    Nunca assisti esse filme!! :S
    gostei muito da forma que você falou do relacionamento entre pais e filhos :D
    Meu relacionamento com os meus .. é um pouco dificil..:x
    Beeijos ;*

    www.harumiholanda.com

    ResponderExcluir
  11. me identifiquei com a sua relação com a sua mãe. Nos damos bem no geral e nos desentendemos muito também. somos totalmente diferentes e iguais ao mesmo tempo. É tudo muito confuso HAHAHAH

    mas sim... não escolhemos os pais que temos e eles não podem escolher os filhos que tem também. Acho que a gente tem de acolher as coisas com amor e tentar relevar um montão de coisa. família é isso aí... muita briga e carinho ao mesmo tempo

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Sensacional.

    Na vida real, acredito que em um relacionamento sadio de uma vida entre pai e filho ocorre as três divisões. Claro que deve predominar a Invejável;

    Bjs

    Feliz Natal.

    ResponderExcluir
  13. Muito legal esse texto e temos que buscar sempre o melhor relacionamento!
    Beijos s2
    amor-e-melancia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Eu trato o meu relacionamento com os meus pais de diferentes formas, com a situação que eu estou vivendo, seja um problema, minha mãe/pai está ali para ajudar, seja alguma M que eu fiz, eles estão ali para dar carão, e assim, cada momento desses, cada "tipo" de relacionamento que eu tenho com eles, eu vejo que além de serem meus amigos, meus puxa-orelha, meus conselheiros, eles são únicos e independente de tudo e de todos, eu amo os dois, tenho certeza que a minha relação com os dois são ótimas, - não invejáveis - mas, eu adoro ela haha, beijoss
    damaindelicada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Sempre tive um relacionamento decente com meus pais, por mais que haja brigas, tentamos dialogar melhor quando a raiva passa. E penso que a quase tudo pode se adaptar quando se trata de relacionamento entre pais e filhos, menos à falta de diálogo. Se não há diálogo, não há negociação e troca. Um não cede, e o outro também não. Sem diálogo, só fica o autoritarismo por parte dos pais e a obediência/desobediência à isso por parte dos filhos. E relacionamento unilateral nunca é algo saudável.

    aguardandoocamaleao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Relacionamentos são complicados poderia ser a frase mais clichê pra se dizer, mas tem seu fundo de verdade. Ninguém vive pra si somente e criar um elo exige dedicação - atenção e carinho, pra não dizer mais. Acho bacana essas reflexões, seja em filme ou em texto, para as pessoas perceberem que tudo que é idealizado demais não é tão real assim. Mas, ao mesmo tempo, não é impossível - basta trabalhar em prol desse objetivo. Particularmente, sou fã de música brasileira. Principalmente, as letras das canções. Saber da história que as acompanha é um presentão. Ajuda na tarefa de tentar desvendar os versos daquilo que pode embalar corações e, até mesmo, nações inteiras. Lindo o post!

    Beijo, beijo - http://megsarmybookclub.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. O Ponto Cute deseja a você e sua família um Feliz Natal!
    Que 2015 seja repleto de alegrias, saúde e paz.
    Boas Festas!
    http://pontocute.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Sempre tive um bom relacionamento com meus pais. Com muito amor, carinho e brigas.
    Hoje entendo que quando eles brigavam comigo, era para me proteger e olha que interessante, nos dias de hoje a situação se inverteu.
    Eu brigo com eles para se cuidarem mais, se alimentarem direito e ter uma vida melhor.

    Um ótimo fim de ano para você.
    Blog de aventuras ♥

    ResponderExcluir
  19. Post muito bom! Pra pensar mesmo!
    Meu relacionamento com meus pais nunca foi invejável, mas foi quase sempre muito bom e posso dizer que nesse ano amadureceu e se fortaleceu muito.
    Beijo

    ResponderExcluir

Me conte suas besteiras também!!

Ou conte coisas sérias... ou deixe sua receita de bolo de chocolate ou faça uma piada.. aqui o espaço é seu!! Use com amor!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...